Tag Archives: Profissão

Ei, Gerentes de Projetos e Analistas de Negócio! Qual o futuro de vocês?

19 Maio

Se no post “PMO. O que eu tenho haver com isso?” eu comentei que o tema “escritório de projetos” era algo que em determinadas situações eu não gostava de discutir, o assunto de hoje já me traz muita motivação.  Não sei se o ensejo para tanta motivação gira em torno das áreas de tecnologias (re)inventarem profissões a cada nova onda ou se o estímulo vem da minha própria necessidade de sobrevivência.

Enfim, o fato é que ao acompanhar o mercado de empregos, as necessidades de clientes, as demandas de cursos e das minhas próprias necessidades,  percebi o quanto as habilidades e técnicas de algumas profissões podem ser realizadas por um mesmo profissional.

Recentemente, recebi um e-mail, de uma importante autora americana ligada à área de gerenciamento de projetos, oferecendo cursos de aperfeiçoamento profissional. Entre os cursos estava um que me chamou a atenção, chamava-se: “Project Manager or Business Analyst: Who Am I?”

A oferta deste curso foi o estímulo necessário para compartilhar com você alguns pontos de vista a respeito “de quem sou eu”…

  • Um dado rápido: nas décadas de 80 e 90 havia uma figura muito importante chamada de Analista de Sistemas. Este profissional era o responsável por levantar e modelar sistemas baseados em regras de negócios. Havia também o programador, o cara que só codificava e era movido a escrever códigos. Logo, o mercado percebeu que muitos profissionais que modelavam sistemas também programavam e, até,  gostavam disso. Logo veio a demanda do PROGRAMALISTA. Se você é profissional de TI, com certeza irá se lembrar disso. Era O famoso dois em um a preço de um (que persiste até hoje).

E quanto a nós (gerentes de projetos) e aos Analistas de Negócio? Continuaremos a ser dois profissionais distintos ?

Será possível que um profissional desenvolva habilidades comuns aos dois perfis e se dê bem com isso?

(é verdade que são questões não muito fáceis de serem respondida…e eu não tenho a soberba de achar que tenho a resposta.)

Mas vou compartilhar com vocês o que pensei: como para os GP’s tem o guia PMBOK, os Analistas de Negócio tem o guia BABOK. Ambos são padrões reconhecidos internacionalmente que descrevem áreas de conhecimentos, atividades, tarefas e as habilidades necessárias para se tornarem profissionais de GP ou de Análise de Negócio.

A respeito, o Guia BABOK define a Análise de Negócios como sendo um “conjunto de atividades e técnicas utilizadas para servir como ligação entre as partes interessadas, no intuito de compreender a estrutura, políticas e operações de uma organização e para recomendar soluções que permitam a organização alcançar suas metas”.

Ainda neste Guia é citado que o Analista de Negócios é “o responsável por desvendar as verdadeiras necessidades das partes interessadas, não simplesmente seus desejos explícitos. Em muitos casos, o analista de negócios irá trabalhar também para facilitar a comunicação entre unidades organizacionais”.  Lembro que é atribuição básica do gerente de projetos a atividade de comunicação.

De acordo com Guia BABOK qualquer um pode ser Analista de Negócios, desde que execute as tarefas descritas no Guia.

Então calma! Este ponto é  importante: se qualquer um pode executar as tarefas do Analista, então o Gerente de Projetos não poderia desenvolver alguma atividade deste profissional?  Ou melhor, ele já não desenvolve algumas tarefas do escopo do analista?

Se formos simplistas e pragmáticos, colocaremos cada “macaco em seu galho”. Não misturaremos as coisas, certo?

Mas, FELIZMENTE, a área de TI não nos permite ser assim. Seria um retrocesso ir de encontro com a própria inovação que permeia a tecnologia da informação  e a demanda do mercado.

O que quero chamar atenção é que já existe (e isso é bem real) a necessidade do gerente de projetos saber mais do que “apenas” gerenciar projetos. É necessário que ele entenda do negócio, que construa a solução em conjunto com os demais analistas e engenheiros do projeto. O gerente de projetos moderno não se limita a planejar e monitorar o projeto, ele ajuda a entender os requisitos e as necessidades do negócio.

Sim! É neste ponto que vejo que as coisas podem se misturar.  O Gerente de Projetos e o Analista de Negócios podem ser a mesma pessoa. Até vejo que é bem mais fácil o Gerente de Projetos integrar as habilidades do Analista do que o contrário, mas de qualquer forma, os papéis podem se misturar…

Não resista!

As metodologias ágeis já sugerem isso. O gerente do projeto é mais um papel dentro da equipe e ele tem a responsabilidade de propor a melhor solução e a melhor maneira de fazer essa solução. A ideia do CHEFE da equipe, a meu ver, é ultrapassada.

Só para fechar, os profissionais que tiveram a visão de programar e fazer análise permaneceram no mercado por mais tempo. Os profissionais de gerenciamento de projetos e de análise de negócios que querem ter a empregabilidade em alta também devem abrir seus horizontes e agregar valor ao seu portfólio de conhecimentos e habilidades. E, para isso, nada como agregar competências!

É isso! Abraços e até a próxima!

Anúncios
%d bloggers like this: