Tag Archives: PMI

Scrum Master vs Gerente de Projetos, PMP: Presente e Passado?

4 Jul

Se você ainda não vivenciou uma situação parecida com que vou descrever, então imagine: de um lado um ScrumMaster certificado (CSM) e do outro um PMP, e algumas pessoas em volta observando a discussão de quem é o melhor perfil para gerenciar projetos!!!

Seria mais uma daquelas discussões intermináveis?!

Pensando nisso, resolvi escrever este post: seria o CSM o presente e o PMP o passado na gerência de projetos?

Lembro que a proposta de ser iterativo e incremental, pregada pelo Scrum, não é nova. Há várias metodologias na Engenharia de Software que pregam a construção baseada em ciclos e releases. Não pretendo com isso minimizar a importância do Scrum, ao contrário. Eu vejo a força desta metodologia na forma de organização do time do projeto e na condução das iterações (sprints) durante o desenvolvimento do projeto, além  da questão da qualidade nos produtos desenvolvidos. Realmente acredito nesta proposta! Mas não é isto que torna o ScrumMaster o grande profissional de gerenciamento de projeto.

De acordo com o Scrum Guide de 2010, a equipe Scrum (Scrum teams) é designada para otimizar a flexibilidade e produtividade do projeto; e para este fim, a equipe é auto-organizada, são cross-functional  (time com diferentes experiências e habilidades voltadas para um objetivo comum) e trabalham por interações.

Faz parte da equipe Scrum: o ScrumMaster; o Proprietário do Produto e a Equipe Scrum.

O ScrumMaster é o responsável por garantir que o processo é compreendido e seguido por TODOS.

Atenção! É também premissa básica, super importante, fundamental etc. etc. etc., que o PMP garanta o processo adotado para o gerenciamento do projeto e que todos os envolvidos tenham ciência deste processo e o execute de maneira coerente, ok?!??!

As figuras do Sponsor (PMBOK) e do Proprietário do Produto (Scrum) dão um encaminhamento distinto para a atuação dos dois perfis, veja:

O Proprietário do Produto é o responsável por maximizar o valor do trabalho que o Time SCRUM realiza.  Já o Sponsor, como apontado no PMBOK, é a pessoa ou grupo que fornece os recursos financeiros, em dinheiro ou em espécie, para o projeto.

Fundamentalmente isso já traz uma consequência para a atuação do ScrumMaster e o Gerente de Projetos que se baseia no PMBOK, concorda?

Observe que o Proprietário do Produto atua em conjunto com a equipe para que o projeto atenda aos requisitos necessários. Já  Sponsor é uma espécie de suporte ao gerente de projeto, para tratar de assuntos relacionados à mudança, além de ser o porta-voz do gerente de projetos para os níveis gerenciais mais altos.  Esta diferença é realmente importante e na prática acaba fazendo toda a diferença.

O ScrumMaster de acordo com o Scrum Guide:

  • Trabalha com os clientes e gestão para identificar e indicar um Proprietário do Produto.
  • Ensina o Proprietário do Produto como fazer o seu trabalho. Espera-se que o Proprietário do Produto saiba como conseguir otimizar valor usando Scrum. Se não, temos o ScrumMaster responsável.
  • Pode ser um membro da equipe, por exemplo, um desenvolvedor que executa tarefas no Sprint (iteração)No entanto, isso muitas vezes leva a conflitos quando o ScrumMaster tem que escolher entre remover impedimentos e realizar tarefas.
  • Nunca deve ser o Proprietário do Produto.

O Gerente de Projetos segundo o Guia PMBOK:

  • Pessoa designada pela organização executora para atingir os objetivos do projeto;
  • Sua autonomia depende do tipo de estrutura organizacional que projeto será desenvolvido;
  • Requer habilidades da área específica e das proficiências ou competências de gerenciamento geral;
  • Ter capacidade de realização;
  • Ter liderança;
  • Capacidade de orientar a equipe do projeto ao mesmo tempo em que atinge os objetivos e equilibra as restrições do mesmo;
  • Dependendo do contexto do projeto, o GP poderá determinar a necessidade de um controle mais eficaz sobre certas entregas;
  • Cabe ao Gerente de Projetos e a sua equipe, determinar o método mais apropriado de execução do projeto.
  • Gerenciar as expectativas das partes interessadas;
  • Desenvolve o plano de gerenciamento de projeto e todos os componentes relacionados;
  • Identifica e monitora os riscos;
  • Fornece relatórios precisos e oportunos das métricas do projeto;
  • É o líder responsável pela comunicação com todas as partes interessadas;

As funções do Proprietário do Produto e do ScrumMaster são bem definidas e claras. Já o PMBOK dá ao gerente de projetos a responsabilidade sobre atividades que poderiam ser compartilhadas com o Sponsor do Projeto.

Resultado disso na prática:

Bom, aí penso que nem todos os projetos cabem, unicamente, em um ou em outro perfil. O contexto mais uma vez vai direcionar qual a melhor forma de orientar e conduzir os trabalhos.  O momento atual do manifesto ágil é muito bom, mas não significa que a filosofia PMI seja ultrapassada, afirmar isso, a meu ver, seria leviano.

Os profissionais PMP passam por um regime mais rigoroso de certificação que os certificados ScrumMaster, isto tem que ser levado em consideração ao avaliarmos os perfis. 

O IT-Management, baseado em uma pesquisa realizada pelo site de empregos de TI, Dice Learning, publicou sobre as certificações percebidas como de grande valor, e a certificação PMP aparece no topo, sendo que a CSM nem na lista aparece. Pense nisso!

O mercado, no entanto, quer alguém que responda com mais agilidade e seja menos burocrático ou estritamente metodológico. Por muitas vezes, já presenciei gestores importantes referindo-se aos PMP’s como “grandes burocratas de alto custo”.  Vejo como demasiadamente dura a afirmação.

Talvez, digam isso por perceberem que os profissionais que conduzem projetos, baseados no manifesto ágil, dão maior foco nos resultados funcionais do projeto. No entanto, vejo que os PMP’s, para projetos de alta criticidade, que requerem maior controle de custos, riscos e recursos, são os mais adequados.

Para que funcione bem, o Scrum requer uma equipe mais experiente, que saiba como se auto-organizar e que tenha em seu “líder” alguém que seja um facilitador para os problemas que surgem no dia-a-dia do projeto e garanta o processo. Por mais belo que isso seja na teoria, nem sempre é fácil de realizar na prática.

Finalizando: nem o PMP é passado e nem o CSM é o presente. Ambos são realidades! Quem é melhor… Aí é uma discussão interminável, do tipo projetista JAVA  vs projetista C#…

Abraços e até a próxima!

Anúncios

O PMI agora é ágil: certificação PMI Agile!

18 Mar

Ao anunciar que vai promover a Certificação com Práticas Ágeis de Gerenciamento de Projetos, o PMI (instituto de gerenciamento de projetos) causou um verdadeiro rebuliço junto aos profissionais da área, especialmente naqueles que possuem alguma certificação vinculada à instituição. E como em toda ação, essa também possui reflexos positivos e negativos. As dúvidas que pairam no ar fazem esquentar essa discussão. Neste post abordarei algumas dessas dúvidas e esclarecerei o que será esta certificação.

No arquivo disponibilizado pelo PMI há alguns pontos que me chamaram a atenção e gostaria de compartilhá-los:

  • Definição do que é ágil: para se definir práticas ágeis o PMI utilizou a comparação com as práticas de desenvolvimento em cascata (Waterfall) – aquela no qual uma fase é pré-requisito para outra e o cliente tem pouca participação no processo de desenvolvimento.

Ágil foi definido como uma filosofia que utiliza modelos organizacionais baseados em pessoas, colaborações e compartilhamento de valores.

Importante!

O PMI associa o desenvolvimento ágil como sendo baseado em planejamento por ondas sucessivas. Algo que o guia PMBOK destaca, mas não aprofunda.

Dúvida nº 1: Então, seria o Guia PMBOK também utilizável para desenvolvimento ágil?

  • Sim. Como um guia ele indica as práticas de gerenciamento de projetos que podem ser adequadas à realidade do manifesto ágil.

O material também realça a questão do desenvolvimento iterativo, com entregas incrementais, rápido e flexível a responder às mudanças, e aberto a comunicação entre equipes, interessados no projeto e clientes.

Bom, até aí tudo conforme o manifesto ágil prega.

Ah! O PMI até cita as metodologias (se assim podem ser chamadas) como SCRUM, XP e TDD. Novos tempos…

Dúvida nº 2: Metodologias Ágeis concorrem com o guia do PMI para gerenciamento de projetos?

  • Não. No meu ver, uma complementa a outra. Dependerá da realidade do seu projeto. Ele tem requisitos instáveis? É possível definir as fases de desenvolvimento de forma que atenda as demandas prioritárias? A equipe é pequena e está localizada em um mesmo ambiente?
  • Práticas Ágeis são definidas como sendo atividades que aplicam os princípios ágeis.
  • Princípios Ágeis são apresentados como “verdades fundamentais e valores compartilhados que orientam o comportamento nas metodologias ágeis”.
  • O que é um projeto ágil?

É um projeto que é gerenciado usando princípios e práticas ágeis.  (fonte PMI)

  • Suas características:

a)      Entregas ao longo do desenvolvimento, de forma a mensurar o investimento cada vez mais cedo. Entregas interativas do produto.

b)      Alta visibilidade do progresso do projeto.

c)       Envolvimento contínuo do cliente durante todo o desenvolvimento do produto.

d)      Poder ao proprietário para tomar decisões sobre o projeto.

e)      Melhor gerenciamento de requisitos. (Melhor adaptação à mudança)

f)       Redução de resíduos do processo e do produto. (MUITO BOM!!!)

Dúvida nº 3: O Guia PMBOK , quando utilizado em sua essência, não teria tais características?

  • O Guia PMBOK é um cardápio de opções. Você o utiliza conforme o projeto e a cultura da organização. Quando misturam conceitos de engenharia com de gestão a coisa pode se complicar, mas o guia PMBOK pode ter tais características.

O valor da certificação ágil (destaque para o profissional), segundo o PMI, para:

a)      Demonstrar ao “mercado” o nível de profissionalismo nas práticas ágeis na gestão de projeto;

b)      Aumentar sua versatilidade profissional em ferramentas de gerenciamento de projetos e técnicas.

c) Mostrar que se tem a capacidade de liderar equipes básicas de projetos ágeis, garantido por uma certificação que possua maior credibilidade do que as ofertas existentes com base apenas em provas ou treinamento.

Dúvida nº 5: Como o PMI irá transformar um manifesto em algo padronizado e de consenso como o Guia PMBOK?

  • Essa questão é a melhor. Não tenho ideia!

Dúvida nº 6: A certificação PMP é algo que segue um padrão consolidado. O que fará a certificação PMI Ágil ser diferente da SCRUM MASTER, por exemplo?

  • O PMI vai colocar sua credibilidade na certificação. Os requisitos de elegibilidade já falam por si só. A única questão é que a SCRUM MASTER tem como base o SCRUM, que é diferente do XP (extremming programming) . O que será utilizado pelo PMI?

Minhas considerações:

Ter uma nova certificação PMI, voltada para as práticas ágeis é benvinda, e disso não há como negar. O meu questionamento maior está em torno do posicionamento do mercado em relação aos profissionais PMP, CAPM e os “Ágeis”.

Seremos, nós PMP’s, rotulados como burocráticos?

Particularmente, vejo que é um risco que se está correndo.  Não gosto muito da ideia de começar a defender algo, criando justificativas, com base em comparações com práticas que não servem para todas as indústrias. O Guia PMBOK se propõe a ser utilizado para todas as indústrias, inclusive as de serviços.

Seria, então, a certificação ágil somente para o desenvolvimento de novos produtos?

No material disponibilizado pelo PMI, observei que a palavra “serviço” não é citada. A própria comparação entre modelos iterativos e incrementais com o modelo em cascata já sugere o desenvolvimento de produtos.

No entanto, o PMI diz que as duas certificações (ágil e PMP) têm objetivos distintos. De acordo com o instituto, a certificação ágil está voltada para “validar a capacidade de um profissional compreender os princípios e práticas ágeis.” Já a certificação PMP tem seu foco voltado para reconhecer a competência na liderança e gestão de equipes de projetos.

Para mim essa distinção não é esclarecedora e até surpreende!

Enfim, acredito que a discussão seja valida e vai durar por algum tempo, ao menos até que a certificação piloto seja lançada oficialmente.

No mais, vejo como EXCELENTE que o PMI tenha se posicionado a respeito do manifesto ágil. Ao invés de criticá-lo, o PMI verificou na prática (por meio do seu grupo de estudo) que os princípios e práticas ágeis funcionam.  Algo que o mercado já vem constatando.

O PMI não pode perder o bonde da história e ficar na janela criticando e defendendo um único modelo. A nova certificação agrega valor ao seu portfólio de certificações.  Utilizo há algum tempo o SCRUM com PMBOK e o resultado é excelente.  No entanto, neste caso, ser simplista em achar que as práticas ágeis cabem em qualquer situação seria o primeiro passo para o abismo.

Requisitos para Certificação:

Requisitos de Elegibilidade Descrição
Nível de Escolaridade Formal secundário ou superior
Experiência em Gerenciamento de Projetos 2000 horas de trabalho em equipes de projetos (últimos 5 anos).Se você for PMP não precisará demonstrar novamente.
Experiência em Gerenciamento de Projetos Ágeis 1.500 horas de trabalho em equipes de projetos ágeis ou em metodologias ágeis. Estas horas são adicionais às 2000 de experiência em Gerenciamento de Projetos. Ou seja, 1500 + 2000 = 3500 horas

Elas devem ter sido adquiridas nos últimos 2 anos.

Treinamento em Gerenciamento de Projetos Ágeis 21 horas. O treinamento deve ter necessariamente tópicos de metodologias ágeis.
Exame Teste dos fundamentos Ágeis e habilidade para aplicar em projetos
Manutenção da Certificação 30 PDUs / 3 CEUs a cada três anos em gerenciamento de projetos ágeis.Importante: essas horas contam como requisitos para as duas certificações.

 

O PMI disponibilizou alguns marcos para a certificação, que valem ser conferidas:

    • Quando o conteúdo para a certificação estará disponível?

    O esboço de conteúdo estará disponível em Abril de 2011.-

    • Quando vão começar a ser aceitos os pedidos pelo PMI para a nova certificação?

    Maio de 2010.

    • Quando é que o exame de Certificação PMI Agile será oferecido pela primeira vez?

    A primeira oferta será durante o terceiro trimestre de 2011.

    Até a próxima!

    %d bloggers like this: