Tag Archives: Perfil

Ei, Gerentes de Projetos e Analistas de Negócio! Qual o futuro de vocês?

19 Maio

Se no post “PMO. O que eu tenho haver com isso?” eu comentei que o tema “escritório de projetos” era algo que em determinadas situações eu não gostava de discutir, o assunto de hoje já me traz muita motivação.  Não sei se o ensejo para tanta motivação gira em torno das áreas de tecnologias (re)inventarem profissões a cada nova onda ou se o estímulo vem da minha própria necessidade de sobrevivência.

Enfim, o fato é que ao acompanhar o mercado de empregos, as necessidades de clientes, as demandas de cursos e das minhas próprias necessidades,  percebi o quanto as habilidades e técnicas de algumas profissões podem ser realizadas por um mesmo profissional.

Recentemente, recebi um e-mail, de uma importante autora americana ligada à área de gerenciamento de projetos, oferecendo cursos de aperfeiçoamento profissional. Entre os cursos estava um que me chamou a atenção, chamava-se: “Project Manager or Business Analyst: Who Am I?”

A oferta deste curso foi o estímulo necessário para compartilhar com você alguns pontos de vista a respeito “de quem sou eu”…

  • Um dado rápido: nas décadas de 80 e 90 havia uma figura muito importante chamada de Analista de Sistemas. Este profissional era o responsável por levantar e modelar sistemas baseados em regras de negócios. Havia também o programador, o cara que só codificava e era movido a escrever códigos. Logo, o mercado percebeu que muitos profissionais que modelavam sistemas também programavam e, até,  gostavam disso. Logo veio a demanda do PROGRAMALISTA. Se você é profissional de TI, com certeza irá se lembrar disso. Era O famoso dois em um a preço de um (que persiste até hoje).

E quanto a nós (gerentes de projetos) e aos Analistas de Negócio? Continuaremos a ser dois profissionais distintos ?

Será possível que um profissional desenvolva habilidades comuns aos dois perfis e se dê bem com isso?

(é verdade que são questões não muito fáceis de serem respondida…e eu não tenho a soberba de achar que tenho a resposta.)

Mas vou compartilhar com vocês o que pensei: como para os GP’s tem o guia PMBOK, os Analistas de Negócio tem o guia BABOK. Ambos são padrões reconhecidos internacionalmente que descrevem áreas de conhecimentos, atividades, tarefas e as habilidades necessárias para se tornarem profissionais de GP ou de Análise de Negócio.

A respeito, o Guia BABOK define a Análise de Negócios como sendo um “conjunto de atividades e técnicas utilizadas para servir como ligação entre as partes interessadas, no intuito de compreender a estrutura, políticas e operações de uma organização e para recomendar soluções que permitam a organização alcançar suas metas”.

Ainda neste Guia é citado que o Analista de Negócios é “o responsável por desvendar as verdadeiras necessidades das partes interessadas, não simplesmente seus desejos explícitos. Em muitos casos, o analista de negócios irá trabalhar também para facilitar a comunicação entre unidades organizacionais”.  Lembro que é atribuição básica do gerente de projetos a atividade de comunicação.

De acordo com Guia BABOK qualquer um pode ser Analista de Negócios, desde que execute as tarefas descritas no Guia.

Então calma! Este ponto é  importante: se qualquer um pode executar as tarefas do Analista, então o Gerente de Projetos não poderia desenvolver alguma atividade deste profissional?  Ou melhor, ele já não desenvolve algumas tarefas do escopo do analista?

Se formos simplistas e pragmáticos, colocaremos cada “macaco em seu galho”. Não misturaremos as coisas, certo?

Mas, FELIZMENTE, a área de TI não nos permite ser assim. Seria um retrocesso ir de encontro com a própria inovação que permeia a tecnologia da informação  e a demanda do mercado.

O que quero chamar atenção é que já existe (e isso é bem real) a necessidade do gerente de projetos saber mais do que “apenas” gerenciar projetos. É necessário que ele entenda do negócio, que construa a solução em conjunto com os demais analistas e engenheiros do projeto. O gerente de projetos moderno não se limita a planejar e monitorar o projeto, ele ajuda a entender os requisitos e as necessidades do negócio.

Sim! É neste ponto que vejo que as coisas podem se misturar.  O Gerente de Projetos e o Analista de Negócios podem ser a mesma pessoa. Até vejo que é bem mais fácil o Gerente de Projetos integrar as habilidades do Analista do que o contrário, mas de qualquer forma, os papéis podem se misturar…

Não resista!

As metodologias ágeis já sugerem isso. O gerente do projeto é mais um papel dentro da equipe e ele tem a responsabilidade de propor a melhor solução e a melhor maneira de fazer essa solução. A ideia do CHEFE da equipe, a meu ver, é ultrapassada.

Só para fechar, os profissionais que tiveram a visão de programar e fazer análise permaneceram no mercado por mais tempo. Os profissionais de gerenciamento de projetos e de análise de negócios que querem ter a empregabilidade em alta também devem abrir seus horizontes e agregar valor ao seu portfólio de conhecimentos e habilidades. E, para isso, nada como agregar competências!

É isso! Abraços e até a próxima!

Anúncios

Que tipo de Gerente de Projetos é Você?

15 Jan

Olhando ao meu redor e para o meu próprio umbigo, fiquei pensando: “que tipo de gerente sou?”

É fato que as nossas avós e nossos avôs deram suas contribuições para formar o gerentão que somos. Negar isso seria nos negligenciarmos. Quantas vezes já ouvimos dizer – muitas vezes sobre nós mesmos: “o cara tem o perfil para tal função…” ou “esse trabalho é a cara de fulano….” entre outras várias frases….

Mas de fato, temos o perfil? Mais ainda, qual o perfil de um gerente de projetos?

Muitos autores, entre estes a autora Rita Mulcahy, dizem que o perfil do gerente de projetos deve contemplar a facilidade de comunicação, a habilidade de desenvolver relacionamentos ou de influênciar pessoas. Enfim, muitas características podem ser “solicitadas” para se “definir” o perfil de um gerente de projetos.  Dentro disso, os autores Rafael Prikladnicki e Afonso Inacio Orth do livro “Planejamento e Gerencia de Projetos” apontam algo interessante, que vale ser transcrito: “Para planejar um projeto é necessário conhecer as Técnicas de Planejamento. Mas antes de tudo, é necessário ter perfil para ser um gerente de projeto”.

Então vamos lá: que tipo de gerente sou? Qual o meu perfil?

O Gerente de Projetos, para àqueles que ainda não tiveram a oportunidade de trabalhar com um,  DEVE ser o profissional que atue mais como um facilitador do que um burocrata, mais descentralizador do que centralizador, mais organizado do que desorganizado…

Isto muitas vezes não é bem claro. Pode-se achar que o Gerente de Projetos é a pessoa da burocracia, ou ainda, o profissional que vai controlar tudo e todos. Na verdade, temos que abrir a mente sobre isso. Não é função de o gerente controlar tudo e todos, mas sim, ser o “interprete” da direção junto aos colaboradores – o contrário também é válido, ok?

Com isso, já dá pra notar que o Gerente de Projetos não é um gerente qualquer. O GP, como são chamados os gerentes de projetos, é a pessoa da empresa que flutua em todas as áreas da organização com o objetivo de atender às suas metas estratégicas. Não pode ele ser confundido com um burocrata.  No entanto, o problema está quando nós mesmos confundimos nosso papel, aí a coisa complica.

O autor Joseph Phillips apresenta alguns tipos de Gerentes que nos deparamos:

1) Gerentes que não ouvirão: são aqueles que não prestam a atenção ao que você diz e nem estão interessados em suas observações.

2) Gerentes que são agressivos: são os brutos! Tudo que conseguem é no grito.

3) Gerentes que evitam tomar decisões: são aqueles que adiam ao máximo a tomada de decisão.

4) Gerentes que microgerenciam: são os perfeccionistas! Para eles ninguém é mais capaz de realizar algo, senão eles.

5) Gerentes que monopolizam o crédito: é aquele que quer ser o centro das atenções. A estrela do processo. Estão sempre presentes, mas não registram nada. Se o projeto falhar ele não tem nada haver com aquilo, caso contrário a glória é só deles.

6) Gerentes que aplicam punições: só para dizer quem está no comando!

Eu tomo a liberdade em acrescentar outro tipo de gerente: o gerente animador de auditório!

Sabe aquele que tenta agradar a todos, só vive sorrindo, é só alegria? Então: é o gerente animador de auditório. As reuniões com esse gerente são sempre um show de comédia, todos saem de lá mais leves, os problemas viram piada, as soluções são postergadas… No fim todos o adoram, mas será se este é o perfil ideal?

O animador de auditório é um cara popular. Disso não há dúvidas!

Na área de TI é muito comum dar a função de gerente de projetos ao melhor técnico da equipe,  e algo parecido acontece com o animador de auditório: é o cara que todos gostam, é só simpatia! No caso do excelente técnico que o transformam em GP… a experiência não tem sido muito boa….

Partindo disso, retomo a pergunta: que tipo de Gerente de Projetos você é?

Abraços!

Fontes:

  • Joseph Phillips – Gerência de Projetos de Tecnologia da Informação
  • Rafael Prikladnicki e Afonso Inacio Orth – Planejamento e Gerencia de Projetos
  • Rita Mulcahy – Pmp Exam Prep Rita’s Course In A Book For Passing
  • Fernanda Maria P. F. Ramos Ferreira – O Perfil do Gerente de Projetos Brasileiro

Imagem Silvio Santos foi retirada da Google images.

%d bloggers like this: